Água de coco: a queridinha do verão

O coqueiro é um dos principais recursos vegetais da humanidade. É considerado pelos pesquisadores como a árvore da vida, a planta de mil e uma utilidades. Todas as suas partes, como raiz, caule, folha, inflorescência e fruto são empregadas para fins artesanais, alimentícios, nutricionais, agroindustriais, medicinais e biotecnológicos, entre outros.
Nutricionalmente falando, tudo no coco faz bem: a água, a gordura e também o que se pode fazer com seus componentes, como farinha de coco, leite de coco, etc… A polpa do coco verde é bastante nutritiva. O leite dela extraído, após passar por um processo de retirada da gordura, pode ser usado na alimentação infantil para crianças que apresentam intolerância ao leite de vaca, e usado em diversas receitas.
Definida como a parte líquida do fruto do coqueiro (C. nucífera), a água de coco corresponde à cerca de 25% do peso do fruto e sua composição básica apresenta 93% de água, 5% de açúcares e 2% de proteínas, vitaminas e minerais. Glicose e frutose são os açúcares predominantes nos frutos jovens, enquanto a sacarose é o açúcar mais abundante nos frutos maduros. Um copo de água de coco equivale às calorias de uma fruta pequena (44 kcal em 200 ml)
  Veja a composição nutricional detalhada:
  • potássio (156,86mg/100g)
  • sacarose (280mg/100mL água de coco);
  • fósforo (7,40mg/100g);
  • sódio (7,05mg/100g);
  • magnésio (4,77mg/100g)
  • frutose (2400mg/100mL);
  • glicose (2378mg/100mL);
  • cálcio (17,10mg/100g)
  • Calorias: aproximadamente 44 kcal em 200 ml
Obs. As concentrações de sais minerais podem variar, principalmente em função da variedade da palmeira, grau de maturação, tipo de solo cultivado e do uso de fertilizantes.
Benefícios:
A água de coco é amplamente consumida no mundo inteiro não somente por ser uma bebida refrescante, mas também devido às suas inúmeras qualidades terapêuticas.
  • A densidade da água de coco é semelhante à do plasma sanguíneo, assim pode ser usada como infusão intravenosa, em casos de desidratação, devido ao seu pH favorável (Por este fato, ela foi utilizada durante a Segunda Guerra como soro fisiológico para reequilibrar os líquidos do organismo, durante as cirurgias de emergência
  • Auxilia no tratamento de distúrbios intestinais;
  • É indicada após desgastes físicos, devido a presença de potássio, magnésio e carboidratos e pela capacidade de rápida reidratação.

Outros benefícios curiosos:

  • A água de coco é um diluente e conservante de sêmen, devido a presença de uma substância chamada ácido indol-acético presente na água de coco, que aumenta a vida útil e a motilidade dos espermatozóides;
  • Mantêm a longevidade das células das córneas humanas para transplante;
  • Auxilia no meio culturas de tecido, vírus, bactérias e na obtenção de vacinas contra febre aftosa, raiva e leishmaniose;
  • Pode ser utilizada como meio de cultura para células vegetais, como embriões e pólen;
  • Na Índia, a água de coco fermentada é utilizada como suplemento protéico na refeição escolar, tendo sido observados aumentos no rendimento escolar e na estatura das crianças.
Contraindicações:
 Hipertensos e diabéticos não devem consumir água de coco em excesso, pois o líquido contém muito sódio e carboidrato. Para estas pessoas, o consumo deve ser moderado, podendo variar individualmente.
Cuidados na compra:
Na hora de comprar a fruta, preste atenção para não escolher aquelas que apresentem casca trincada e manchas marrons; e depois de aberta, consuma o líquido imediatamente.

E dá-lhe água de coco!!

🙂  😉  😀AGUACOCO

O que o camarão tem de bom?

O camarão – ingrediente tão comum e nobre na alimentação de todo o mundo – é além de gostoso, muito nutritivo e saudável.  O Brasil é o oitavo maior produtor de camarão do mundo!  Mas o que o camarão tem de bom? Este crustáceo, cujo nome vem do latim cammãrus é composto basicamente de água, proteínas, gorduras saudáveis, cálcio, fósforo,  potássio, zinco, um pouco de sódio, um teco de Ferro e traços de vitaminas do complexo  B (exceto a B12)

Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), há mais de 340 espécies de camarão pescadas comercialmente no mundo todo. O valor nutricional não varia muito entre elas, mas sofre pequenas variações, dependendo da composição da água da região, dos tipos de alga presentes, da temperatura, da sazonalidade e do ciclo reprodutivo.  O que muda entre as espécies é o tamanho, peso, textura e as calorias (depende da preparação).

Alguns tipos de camarão:

  • Camarão-da-malásia
  • Camarão-de-estalo
  • Camarão-de-patas-brancas
  • Camarão-de-sete-barbas
  • Camarão-limpador
  • Camarão-rosa

Como escolher?

É importante saber escolher os camarões na hora da compra. Verifique se a cabeça está bem presa ao corpo. A casca deve estar rosada e brilhante.O odor deve ser suave. Se o rabo e a cabeça estiverem escuros, é um sinal de que o alimento não está legal, provavelmente por não ter sido armazenado corretamente.

Como higienizar?

Jogar em um escorredor, espremer um limão para cada quilo de camarão e colocá-lo na água corrente. Além de ser a melhor forma de retirar o odor e pequenas sujeiras de maresia, esse processo realça o sabor do alimento. Para retirar a sujeira da qual o camarão se alimenta no mar, faça um pequeno talo nas costas dele e, com um palito, puxe as vísceras. Outra opção é comprar o camarão já limpo e sem cabeça. Mesmo assim é interessante lavar os camarões em água corrente,   para garantir a qualidade do alimento.

Como armazenar?

Outro cuidado que deve ser observado é o armazenamento. O camarão precisa ser armazenado em freezer. Após o descongelamento, deve ser mantido na parte mais fria da geladeira e consumido no máximo em dois  dias. O ideal é que o descongelamento seja lento. Dica: Na noite anterior ao preparo, ou algumas horas antes, retire os camarões do freezer e guarde-os na geladeira. Desta forma, o descongelamento será mais lento. No freezer, se já tiver sido comprado congelado, ele pode durar até 1 ano. Caso contrário, pode ser armazenado no freezer por até 1 mês. Após o preparo, o camarão dura no máximo dois dias na geladeira.

Preparações:

As preparações com camarão são diversas e os molhos/temperos que as acompanham é que aumentam o valor calórico do prato. O camarão em si, é um alimento extremamente nutritivo, de baixa caloria e versátil na culinária. Os pratos mais conhecidos no Brasil são: bobó de camarão, camarão na moranga, moquecas, saladas, ensopados, fritos e empanados.

Obs. Há formas de preparo mais saudáveis e menos calóricas (veja no menu receitas aqui do site).

Dá-lhe camarão! Beijos, da #nutrilari   :*  😀  😛

camarão

Camarão cremoso c/ ricota, ervas e gergelim

Essa receita deliciosa é super light, rica em cálcio, zinco e proteínas. O melhor de tudo: Pouquíssimo calórica! Vale a pena experimentar! 🙂

Ingredientes:

  • 400 g de camarão
  • 3 colheres de sopa de creme de ricota light
  • 1/2 de cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • Limão- 2 a 3 unidades
  • Sal marinho
  • Pimenta do reino
  • Mix de ervas picadinhos: salsinha + manjericão + orégano
  • 2 colheres de sopa de gergelim

Preparo:

  • Depois de limpo e descascado, deixe o camarão marinando em limão, sal marinho e pimenta do reino por uns 20 a 30 minutos.
  • Doure a cebola, alho e gergelim no azeite extra-virgem
  • Adicione o camarão e deixar refogue por 5 a 10 minutos (em fogo baixo)
  • Deixe o caldo reduzir e prove o sal
  • Misturar o creme de ricota e quando chegar no ponto desejado
  • Jogue o mix de ervas + pimenta do reino
  • Misture mais um pouquinho e desligue o fogo!

Pronto! É só servir com um arrozinho integral ou arroz negro +  uma saladinha! Minha sugestão é uma salada de alface roxa, rúcula ou agrião, folhas de hortelã e tomatinhos + um belo balsâmico. Fica deli!!

Bom apetite! Bjs, nutrilari camarão light🙂

 

Tipos de açúcar

 O Brasil é o maior produtor de açúcar do MUNDO! Já que somos os maiores produtores de cana. Sempre digo que o que vem da natureza é bom! O açúcar vem da cana e então, qual o problema dele? Basicamente o que o Homem fez com ele, o REFINAMENTO!

Na natureza  os carboidratos veem protegidos, com fibras! Isso faz com que a absorção deles seja mais lenta (Índice Glicêmico de baixo a moderado). Aí veio o Homem e refinou tudo, retirou todas as fibras, tornando os carboidratos simples e de alto índice glicêmico.

Se consumíssemos a cana de açúcar, que contêm fibras,  a velocidade de entrada do carboidrato na corrente sanguínea seria lenta. No entanto, como o mundo moderno  visa somente a praticidade e não saúde, foram criados métodos facilitadores dessa extração. Ou seja, nós consumimos um tipo de energia vinda do açúcar refinado, a qual possui uma  absorção absurdamente rápida! E o nosso corpo, como reage? . Como o corpo não está acostumado com isso, ele se defende e armazena esse açúcar na forma de glicogênio OU gordura. Outra consequência do consumo exagerado de carboidratos de alto IG, são os picos de glicose e a produção exagerada de insulina, que pode causar hiperinsulinemia (produção exacerbada de insulina)  e hipoglicemia. (baixa de glicose na corrente sanguínea).

Fisiologicamente estamos acostumados a consumir carboidratos com Baixo IG. Já que nossos ancestrais não tinham maquinários para uma extração eficiente das fibras, para o refinamento. O processo de refinamento é algo NOVO, que veio há cerca de 100 anos. Comparado a nossa fisiologia,  tem mais de 30mil anos…SIM, precisamos de carboidratos, mas NÃO precisamos de açúcares/carboidratos com elevado Índice Glicêmico – que entrem muito rápido na corrente sanguínea.

Então, já sabemos que um dos problemas do açúcar é a sua velocidade de sua entrada na corrente sanguínea – o índice Glicêmico (IG). O outro problema é a quantidade de produtos químicos adicionados ao açúcar refinado, para deixá-lo  “branquinho”. E, nesse ponto o mascavo e o orgânico têm pontos positivos! A dica é: quanto mais escuro o açúcar, mais nutrientes ele contêm!tiposdeacucar

Conheça os  tipos de açúcar:

  • Melaço/Melado: é o primeiro do processo,  corresponde ao caldo de cana filtrado, decantado e limpo, evaporado e concentrado até a consistência de xarope não cristalizável.
  • Açúcar mascavo: é um açúcar bruto que não passa por refinamento, e por isso mantém todos os seus sais minerais.
  • Açúcar demerara: vem do melaço e passa por um leve refinamento,   mas não recebe nenhum aditivo químico.
  • Açúcar orgânico: desde  o plantio, a colheita e todo o processo industrial não recebe nada de aditivos químicos, Tem a cor mais clara que o mascavo, e é tão saudável quanto ele.
  • Açúcar cristal: Vem do melado ou do açúcar mascavo, e passa pelo processo de refinamento que retira cerca de 90% de seus sais mineiras.
  • Açúcar refinado: Vem do melado ou do açúcar mascavo, mas passa por várias etapas de refinamento e branqueamento, perdendo totalmente os sais minerais e ganhando substâncias químicas agressivas ao organismo,  como soda cáustica, enxofre e outras.
  • Açúcar líquido: este açúcar, também chamado de xarope simples, não é vendido nos supermercados e é utilizado frequentemente pela indústria alimentícia, para a fabricação de balas e refrigerantes.
  • Açúcar de confeiteiro: o açúcar de confeiteiro também é conhecido como “glaçucar”. Os cristais são tão delicados e finos que até parecem farinha. O segredo deste ingrediente é o processo de refinamento sofisticado pelo qual ele passa. Depois, é encaminhado para uma peneiragem, durante a qual os cristais são separados de acordo com a granulometria. Antes de ir para o pacotinho, o açúcar recebe uma pequena quantidade de amido de arroz, milho ou fosfato que evita que os grãos fiquem grudados. O açúcar de confeiteiro é muito usado para decorar biscoitos e tortas.
  • Açúcar Vanille: este tipo de açúcar tem um leve sabor de baunilha. É o tipo de açúcar perfeito para preparar biscoitinhos caseiros e bolos simples. Porém, pode ser difícil encontrar este ingrediente em algumas regiões do país.
  • Xarope ou Açúcar invertido:  esta variedade é uma mistura de três tipos de substâncias adoçantes. Com 1/3 de glicose, 1/3 de frutose e 1/3 de sacarose, é uma solução aquosa, fácil de ser armazenada. Também é muito utilizado na indústria alimentícia por agir contra a cristalização nos alimentos já preparados.  Frutas em calda, sorvetes, balas e caramelos, licores, geleias, biscoitos levam o ingrediente em sua composição.
  • Açúcar light: é a combinação de açúcar refinado com adoçante! Sem comentários…nada de bom nesta opção!

Então….

Aconselho o consumo moderado dos açúcares menos agressivos, aqueles que contêm menos aditivos químicos como o demerara, mascavo ou orgânico. Entre o mascavo e o refinado há uma grande variação, mas isso não justifica usar o açúcar mascavo como fonte de nutrientes, já que existem muitos outros alimentos fontes dos mesmos. Quanto aos adoçantes, quanto menos melhor! Indico mais aos diabéticos, e mesmo assim os menos nocivos como o ESTÉVIA. Os adoçantes, apesar de não possuírem  energia, contêm  muitas substâncias químicas estranhas ao organismo, as quais  podem intoxicar ou gerar inflamação ao mesmo. Em breve farei um post só sobre adoçantes! 🙂